Bolsa de Valores de Mocambique
CDM 200,00
CMH 890,00
CETA 120,00
EMOSE 20,00
MATAMA 375,00
ZERO 10,00
OT-2005-S2 8.00%
BCI-2009-Sub 27.3125%
MOZA-BANCO-2013-Sub 100.00
CM-2013-S2 26.75%
OT-2013-S4 9.875%
CPC-2014-S1 27.25%
CPC-2014-S2 26.75%
OT-2017-S4 27.50%
OT-2014-S6 10.75%
OT-2014-S7 10.25%
OT-2014-S8 10.125%
Visabeira-2015 13.00%
OT-2015-S1 10.00%
OT-2015-S2 10.00%
OT-2015-S3 10.00%
OT-2015-S4 10.13%
OT-2015-S5 10.50%
OT-2015-S6 10.50%
STB-2015-S1 27.25%
STB-2015-S2 27.00%
STB-2015-S3 27.00%
BNI-2016-S1 23.25%
BAYPORT-2016-S1 31.75%
BAYPORT-2016-S2 32.00%
OT-2016-S1 11.00%
OT-2016-S2 12.75%
OT-2016-S3 29.3125%
OT-2017-S1 27.00%
OT-2017-S2 27.00%
OT-2017-S3 27.00%
No dia 18 de Agosto de 2017, a Bolsa de Valores de Moçambique anunciou publicamente a admissão a cotação da Zero Investimentos SA.

A primeira PME a aderir ao Segundo Mercado da Bolsa de Valores. A admissão da primeira PME na Bolsa é o corolário da visão estratégica do Governo de atrair para a Bolsa esse segmento maioritário do empresariado nacional.

A Zero Investimentos SA é uma sociedade comercial constituída em 04 de Maio de 2012, com sede no Distrito de Marracuene, e tem como objecto principal estabelecer e providenciar serviços de investimento e gestão de fundos e capitais, bem como proceder à selecção, gestão e aplicação de investimento de qualquer fundo de capital de risco, bem como celebrar acordos para a prestação de serviços de gestão de investimentos.

Na sua intervenção durante a cerimónia, o Presidente do Conselho de Administração da Zero Investimentos, João das Neves, disse acreditar que a adesão à Bolsa vai valorizar a sua empresa no mercado, e explicou que, para além do financiamento que a empresa possa obter através da Bolsa, a admissão proporciona outras oportunidades como a transmitir aos investidores uma mensagem de disciplina e rigor na gestão, transparência e boa governação, que são valores exigidos para uma empresa admitir-se na BVM.

O empresário salientou, ainda, que para o processo de adesão ultrapassou várias dificuldades, mas devido a persistência, trabalho abnegado e colaboração com algumas instituições como a BVM e o BNI, a Zero Investimentos SA fez história ao tornar-se na primeira PME a cotar-se na Bolsa em Moçambique.

Para Salim Valá, Presidente do Conselho de Administração da Bolsa de Valores de Moçambique, a admissão da Zero Investimentos SA no mercado bolsista mostrou às empresas a operar em Moçambique que o mercado de capitais está aberto a todo o tipo de empresas, quebrando o paradigma prevalecente de que a Bolsa de Valores é somente para as empresas de grande dimensão.

Valá enfatizou que a admissão à cotação da Zero Investimentos SA à BVM transmite o sinal ao empresariado nacional que o mercado de capitais e a Bolsa de Valores estão preparados para acolher empresas de diferentes dimensões e áreas de actividade. Referiu, também, que eleva-se para seis (6) o número de empresas cotadas na BVM (depois da CDM, CMH, CETA, EMOSE e MATAMA), o que vai contribuir para alargar o leque de alternativas com as quais os investidores podem aplicar as suas poupanças, tendo desafiado as empresas localizadas em diferentes pontos do País a cotarem-se na Bolsa como meio de capitalização e empoderamento económico.  

Refira-se que, com a admissão à cotação no mercado bolsista, a Zero Investimentos SA ganha maior visibilidade no mercado nacional, posiciona-se no radar dos investidores nacionais e estrangeiros, passa a ter maior potencial de valorização da empresa, o público tem mais uma alternativa para a aplicação das suas poupanças e a empresa tem acesso a mais alternativas de financiamento a custo relativamente barato.

Fotos e video do evento