Bolsa de Valores de Mocambique
ARCO 100,00
ARKO SEGUROS 1.250,00
CDM 65,00
CMH 2.800,00
EMOSE 20,00
HCB 2,35
PAYTECH 10,00
REVIMO 12.750,00
TOUCH 3,20
ZERO 20,00
2BUSINESS 1,00
BAYPORT 2019 Série I 20,0000%
BAYPORT 2019 Série II 19,0000%
BAYPORT 2020 Série I 16,0000%
BAYPORT 2020 Série II 19,3800%
BAYPORT 2021 Série I 19,9100%
BAYPORT 2021 Série II 17,9000%
BAYPORT 2021 Série III 17,9000%
BAYPORT 2021 Série IV 17,8800%
CM 2017 19,0000%
PC MYBUCKS2021 18,9000%
VISABEIRA 2020 21,0000%
OT 2005 S2 8,0000%
OT 2017 S6 16,6250%
OT 2017 S7 16,6250%
OT 2019 S1 14,9375%
OT 2019 S4 14,9375%
OT 2019 S7 17,4375%
OT 2019 S8 10,0000%
OT 2019 S9 12,0000%
OT Fornecedores 2019 4,0625%
OT 2020 S1 14,9375%
OT 2020 S2 14,8750%
OT 2020 S3 14,9375%
OT 2020 S4 14,9375%
OT 2020 S5 16,3125%
OT 2020 S6 10,0000%
OT 2020 S7 14,9375%
OT 2020 S8 14,9375%
OT 2020 S9 14,9375%
OT 2020 S10 14,9375%
OT 2020 S11 3,8125%
OT 2021 S1 14,9375%
OT 2021 S2 14,6250%
OT 2021 S3 14,6875%
OT 2021 S4 15,8125%
OT 2021 S5 14,2500%
OT 2021 S6 14,2500%
OT 2021 S7 14,2500%
OT 2021 S8 14,0000%
OT 2021 S9 15,6875%
OT 2021 S10 14,5000%
OT 2021 S11 2,5625%
OT 2022 S1 14,5000%
OT 2022 S2 14,0000%
OT 2022 S3 15,2500%
OT 2022 S4 14,2500%
OT 2022 S5 17,0000%
A Bolsa de Valores de Moçambique (BVM), distinguiu no dia 17 de Novembro de 2021 em Maputo, os intervenientes do mercado de capitais cujas acções se notabilizaram no exercício económico de 2020.

Trata-se de MyBucksBanking Mozambique, AbsaBank e do Banco Comercial e de Investimentos (BCI). A distinção, visou reconhecer o trabalho realizado pelos intervenientes do Mercado de Capitais, que no decurso das suas actividades têm contribuído para o crescimento e desenvolvimento do mercado de capitais e da Bolsa de Valores de Moçambique.

O MyBucksBanking Mozambique venceu a categoria Valor Mobiliário com maior liquidez, atribuída à empresa cujo valor mobiliário por ela emitido apresentou o maior volume de transacção e o melhor rácio de liquidez no mercado bolsista.

Já o AbsaBank foi laureado na categoria Maior Volume de Negociação no mercado bolsista, na qualidade de operador de bolsa com o maior volume e número de transacções de títulos cotados.

O Banco Comercial e de Investimentos foi premiado na categoria Maior Banco de Custódia de registo por accionista na Central de Valores Mobiliários (CVM), que é atribuída ao banco de custódia com o maior número de titulares registados na CVM. 

Intervindo na ocasião, o Presidente do Conselho de Administração da BVM, Salim Cripton Valá, disse que a distinção assinala o genuíno reconhecimento pelo papel vital que estas entidades realizam em prol do desenvolvimento do mercado bolsista.
“As premiações que hoje testemunhamos são um sinal inequívoco de que há múltiplos intervenientes no mercado de capitais e que tem desenvolvido um trabalho de vulto para o crescimento do mercado de capitais e do sistema financeiro do país”, disse Salim Valá.

Na hora do balanço, Salim Valá sublinhou que apesar do contexto económico marcado por múltiplos desafios, a BVM encerra o presente exercício económico com resultados satisfatórios.
O estabelecimento de novas janelas de oportunidades em parceria, a admissão de mais empresas à Bolsa (no âmbito do Terceiro Mercado de Bolsa) e novos produtos ditaram o positivo desempenho da instituição, num ano em que a economia nacional voltou a ressentir-se dos efeitos da pandemia da Covid-19,que conjugado com outros obstáculos, minaram o desempenho dos diversos sectores de actividade.

Actualmente, 12 empresas estão cotadas na BVM, sendo oito no Mercado de Cotações Oficiais, uma no Segundo Mercado e três no Terceiro Mercado.

Durante a cerimónia, a BVM procedeu, igualmente, ao lançamento do ″Dashboard″ (um painel de estatísticas que permite facilitar a interpretação dos dados do mercado) e da ″Aplicação Móvel″ (destinada ao público, e que permite o acesso a informações relativas aos títulos cotados na BVM, sessões de bolsa, eventos do mercado e da BVM, bem como informações sobre educação financeira).

Para o futuro, o PCA da referiu que a atraco da BVM estará voltada para atracção de mais empresas (incluindo PME’s) e investidores para usarem a Bolsa; criação de novos mercados, produtos, serviços e instrumentos financeiros; modernização tecnológica; aprimoramento do quadro normativo e promoção da educação e literacia financeira.

Salim Valá destacou a permanente capacitação dos colaboradores da BVM e demais participantes no mercado de capitais, o reforço das medidas de combate ao branqueamento de capitais, ciber-segurança, controlo interno e gestão de riscos e abertura da BVM à entrada de empresas e investidores estrangeiros no nosso mercado, para uma maior expansão das suas actividades junto de um maior universo de mercados, empresas e investidores.

Por sua vez, o vice-Presidente do Pelouro de Transportes na Confederação das Associações Económicas de Moçambique (CTA) Fernando Couto, começou por destacar os desafios enfrentados pelas empresas, decorrentes da desaceleração da economia nacional. Prosseguindo, instou a Bolsa de Valores de Moçambique a elaborar um conjunto de medidas para dinamizar o acesso das empresas, sobretudo as pequenas e médias, ao Mercado de Capitais.

Estiveram presentes na cerimónia operadores de bolsa, parceiros estratégicos da BVM, representantes de empresas privadas, públicas e participadas pelo Estado, empresas cotadas e em processo de admissão à cotação, intervenientes do mercado de capitais, entre outros convidados.
 

Fotos do Evento