Increase Size Decrease Size Reset font to default

Missão

Promover a captação, mobilização e alocação dos recursos financeiros, de forma eficiente, eficaz e transparente, para satisfazer as necessidades de financiamento dos agentes económicos, promovendo o desenvolvimento sustentável da economia.

Visão

Ser referência na oferta de oportunidades de conversão da poupança em investimento produtivo, contribuindo para o crescimento da economia e para a inclusão social e financeira.

Valores

• Transparência, credibilidade e equidade; • Conhecimento, competência e ética profissional; • Iniciativa, Inovação e Modernização; • Parceria e Colaboração Institucional; • Liderança e valorização Pessoal; • Patriotismo e responsabilidade social.

   

Posições do Mercado de 29 de Setembro de 2014

PDF Imprimir
Índice do Artigo
Moçambique
Economia do País
Todas as Páginas

 

Informação Geral sobre Moçambique

Nome República de Moçambique
Capital Cidade de Maputo
Presidente Armando Emílio Guebuza
Primeiro-Ministro Alberto Vaquina
Sistema Politico Democracia Multipartidária
Data da Independência 25 de Junho de 1975
Bandeira
Emblema
Moeda Metical
GDP 13.8%
Localização Costa Sudeste de África
Coordenadas

Moçambique está situado entre os paralelos 10° 27’e 26° 52’de latitude Sul e entre os meridianos 30° 12’e 40°51 de longitude Este

Área aproximada

799.380 Km2

Fronteiras

A norte com a República da Tanzânia, a noroeste com o Malawi e a Zâmbia, a oeste com o Zimbabwe e a República da África do Sul, e a sul com a Suazilândia e ainda a África do Sul

Clima

O clima em Moçambique é de uma maneira geral tropical e húmido

Faixa Costeira

Toda a faixa Este, com cerca de 2.470 quilómetros é banhada pelo Oceano Índico.

Código Internet

mz

Código Telefónico

258

Língua oficial

Português

Outras línguas nacionais

Cicopi, cinyanja, cinyungwe, cisenga, cishona, ciyao, echuwabo, ekoti, elomwe, gitonga, maconde (ou shimakonde), kimwani, macua (ouemakhuwa), memane, suaíli (ou kiswahili), suazi (ou swazi), xichanga, xironga, xitswa e zulu

Outras províncias

(Norte) Niassa, Cabo Delgado, Nampula, (Centro) Zambézia, Tete, Manica, Sofala, (Sul) Inhambane, Gaza e Maputo

Recursos Naturais

Energia Hidroeléctrica, gás natural, carvão, minerais ( titânio, grafite, ...) , madeiras e produtos piscatórios

Principais Exportações

Camarão; algodão; caju; açúcar e chá

 

População 2007

Total

20.366.795

Homens
9.842.760
Mulheres
10.524.035
Províncias
Niassa
1.055.482
Cabo Delgado

1.683.681

Nampula
3.861.347
Zambézia
3.880.18
Tete
1.593.258
Manica
1.400.415
Sofala
1.715.557
Inhambane
1.444.282
Gaza
1.362.174
Maputo Província
1.098.846

 

Feriados

Data

Designação do Feriado

Observações
1 de Janeiro
Dia da Fraternidade Universal
3 de Fevereiro
Dia dos Heróis Moçambicanos
Em homenagem a Eduardo Mondlane
7 de Abril
Dia da Mulher Moçambicana
Em homenagem a Josina Machel
1 de Maio
Dia Internacional dos Trabalhadores
25 de Junho

Dia da Independência Nacional

7 de Setembro
Dia da Vitória
Em homenagem à assinatura dos Acordos de Lusaka
25 de Setembro
Dia das Forças Armadas
Em homenagem ao início da Luta Armada de Libertação Nacional
4 Outubro
Dia da Paz e Reconciliação
Em homenagem ao Acordo Geral de Paz
25 de Dezembro
Dia da Família

 

 

 


 

Economia do País

Moçambique independente herdou uma estrutura económica colonial caracterizada por uma assimetria entre o Norte e o Sul do País e entre o campo e a cidade. O Sul mais desenvolvido que o Norte e a cidade mais desenvolvida que o campo. A ausência duma integração económica e a opressão extrema da mão de obra constituíam as características mais dominantes dessa assimetria.

A estratégia de desenvolvimento formulada para inverter esta assimetria apostou numa economia socialista centralmente planificada. No entanto, as conjunturas regional e internacional desfavoráveis, as calamidades naturais e um conflito militar interno de 16 anos inviabilizaram a estratégia. O endividamento externo (cerca de 5,5 biliões em 1995) obrigou o País a uma mudança radical para uma estratégia de desenvolvimento do mercado filiando-se nas Instituições de Bretton Woods e a consequente adoptação dum Programa de Ajustamento Estrutural, a partir de 1987. Desde então, o País tem estado a registar um notável crescimento económico. O Produto Interno Bruto (PIB) tem estado a crescer numa média acima de 7-8% ao ano, chegando mesmo a atingir níveis de 2 dígitos. A inflação está abaixo de 10%. A tendência é mantê-la em um dígito. Em termos monetários, Moçambique possui um dos regimes cambiais mais liberalizados de África. Os parceiros comerciais externos têm motivos suficientes para inspirarem uma grande confiança pelo País face à capacidade que as autoridades monetárias têm conseguido manter volumes adequados de meios de pagamento sobre o exterior. As reservas externas do Banco Central têm estado a situar-se acima dos seis meses de importação de bens e serviços.

O Estado, através da execução da sua política orçamental regula e dinamiza as áreas sócio-económicas mais importantes e cria um bom ambiente de negócios muito favorável ao desenvolvimento da iniciativa privada. As reformas jurídicas no âmbito da legislação financeira, fiscal, laboral, comercial e da terra levadas acabo pelo Governo contribuem significativamente para fortalecer esse bom ambiente com a respectiva atracção do investimento privado nacional e externo.

O potencial económico do País para a atracção de investimentos na agro-indústria, agricultura, turismo, pesca e mineração é enorme. Projectos como o da Mozal, Barragem de Cahora Bassa, Corredores Ferro-Portuários e Complexos Turísticos ao longo de todo o País têm contribuído significativamente para colocar Moçambique na rota dos grandes investimentos regional e internacional.

Apesar do notável crescimento económico que o País vem registando, muitos moçambicanos continuam vivendo abaixo da linha da pobreza. O combate à pobreza absoluta constitui uma das grandes prioridades do Governo para o quinquénio 2005-2009. Para o efeito foi traçado a segunda fase do Plano de Acção da Redução da Pobreza Absoluta (PARPA II).


Cerca de 45% do território moçambicano tem potencial para agricultura, porém 80% dela é de subsistência. Há extração de madeira das florestas nativas. A reconstrução da economia (após o fim da guerra civil em 1992, e das enchentes de 2000) é dificultada pela existência de minas terrestres não desativadas.

 

Principais produtos agrícolas

  • Algodão
  • Cana-de-açucar
  • Castanha-de-Caju
  • Copra(polpa do coco)
  • Mandioca

Pecuária

  • Bovinos (1,9 milhões)
  • Suínos (193 mil)
  • Ovinos (122 mil)

Pesca

A cifra oficial de capturas era de 30,2 mil toneladas em 1996. O camarão é um dos principais produtos de exportação.

 

Minérios

Os principais recursos minerais incluem carvão, sal, grafite, bauxita, ouro pedras preciosas e semipreciosas. Possui também reservas de gás natural e mármore.

Indústria

É pouco desenvolvida, mas autosuficiente em tabaco e bebidas (cerveja). No ano 2000, foi inaugurada uma fundição de alumínio que aumentou o PIB em 500%. Para atrair investimentos estrangeiros, o governo criou os "corredores de desenvolvimento" de Maputo, Beira e Nacala, com acesso rodoviário, suprimento de energia elétrica, e com ligação por ferrovia até aos países vizinhos.

Turismo

O país tem um grande potencial turístico, destacando-se as zonas propícias ao mergulho nos seus mais de 2 mil km de litoral, e os parques e reservas de animais no interior do país.



Esta antiga colónia e província ultramarina de Portugal, teve a sua independência a 25 de junho de 1975. Faz parte da CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa), da SADC, da União Africana, da Commonwealth, da Organização da Conferência Islâmica e da ONU. Sua capital e maior cidade é Maputo.

 

 
Bolsa de Valores de Moçambique © Todos os Direitos Reservados